A viagem é finita

Chega ao fim minha viagem de fim de ano pela europa. Mais que uma viagem ao mundo, foi uma viagem ao meu mundo. Sair da minha zoninha de conforto em Lisboa, me fez perceber o tanto que sinto falta de meu menino. Ver os encantos de Londres, e cada coisa me lembrava ele. Estava sem internet em Londres, e só consegui falar com ele em Paris, na noite de Natal, e recebi uma notícia bastante triste para mim. O pior é que foi muito repentino, pois aconteceu justamente no momento em que estava sentindo as consequências de minha escolha, que apesar de eu ainda achar que foi a mais certa, foi a mais difícil e sofrida.

Alguém que não viva situação semelhante jamais consegue imaginar a profusão de sentimentos que se passa num intercâmbio. A carência, associada à insegurança que eu já sentia antes, me levou a tomar esta decisão, mas esse tempinho e as viagens me mostraram que tudo o que eu queria já tinha encontrado. Por alguma razão que não consigo explicar, até chegar a Londres era como se a informações não estivessem sendo assimiladas por meu cérebro e meu coração. Sentia-me mais livre que antes, sem a sensação de estar traindo-o a cada passo, a cada dancinha na Urban, mas ainda me sentia bastante dele. Dizem meus amigos que o que sinto é solidão, mas a falta que sinto não é de alguém, é dO alguém. O clima romântico de Milão e Roma ainda piorou a situação.

Sei que já é tarde para me arrepender. Meu grande defeito é a impontualidade, mas nunca senti tanto o peso de uma demora minha. Só espero que no fim das contas eu tenha realmente tomado a decisão certa, ou, caso contrário, que a vida me dê uma segunda chance.

Mudando o tema, a viagem em si foi bastante enriquecedora. London Eye, Big Ben, Palácio de Buckinghan, Abadia de Westminster, Catedral de São Paulo, Shakespeare Globe, Tate Modern, London Bridge, Abbey road, Kings Cross, Greenwich, Catedral de Notre Dame, Torre Eiffel, Museu do Louvre, Château de Versalhes, Champs-Elysees e Arc de Triomphe, Duomo de Milano, Castelo de Sforzesco, Colosseo, ruínas do império romano, Piazza d’Spagna, Trinitá dei Monte, Piazza del Popolo, Vaticano, Castel Sant’Agelo…

Todos lugares de sonho para muita gente, coisas que nem imaginei visitar, muitas delas nunca nem tinha ouvido falar, e tive a oportunidade de conhecer assim tão naturalmente. A cultura em si não mudou muito, pois esses locais são bem parecidos com Brasil e Portugal. Mudam as pessoas, os idiomas, mas sociedade é a mesma: trabalho, estudo, compras, lazer, amigos, amor… vida.

Anúncios

1 comentário (+adicionar seu?)

  1. JeFrias
    jan 03, 2013 @ 08:44:04

    Desculpe os milhões de textos de uma vez, Roh! É q a internet do hostel tava ruim, a única boa foi a de Londres. Tw aqui fazendo hora pra ir pro aeroporto, pra finalmente voltar pra Lisboa 😉 Vinha escrevendo tudo no word, daí só fiz postar.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: