Um Suspiro

Ontem dormi com um sol vermelho num coração cinza. Mas ao acordar lá estava de volta, aquele que tanto me incomodou quando me dei conta, mas agora já inquietantemente habitual, piriquiti pulsante.

O que eu quero, o que eu preciso, é de alguém que me diga o que fazer, que caminho seguir, enquanto estou perdida demais para decidi-lo por mim mesma.

Anúncios

Ladrão rouba notebook na Suécia – mas devolve os arquivos

Meliante de primeiro mundo é outra coisa…

Em mais um caso de roubo de notebook, um professor sueco tem uma história diferente para contar. Ele teve sua mochila roubada quando estava em uma lavanderia, tendo perdido uma grande quantidade de dados no computador. Mas, uma semana depois, ele recebeu pelo correio um pen drive – do ladrão – com todos os seus arquivos pessoais.

O professor, que preferiu não se identificar, conta que estava voltando para casa e passou primeiro na lavanderia, antes de subir a seu apartamento. Ele deixou sua mochila atrás de uma porta, acreditando que estaria segura por um tempo, conforme conta o site sueco The Local .

Entretanto, voltando, ele não encontrou mais a mochila, que continha não somente seu notebook, mas cartões de crédito, artigos e outros papéis importantes para ele. O professor foi, então, à polícia prestar queixa e, quando voltou, a primeira surpresa: sua mochila estava de volta, com todos os seus papéis, cartões de crédito e dinheiro, faltando apenas o computador.

Mas o ladrão ainda teria uma outra boa ação a realizar. Cerca de uma semana depois, chegando em casa o professor encontrou um envelope endereçado a ele, com um pen drive dentro (que também havia sido roubado). Quando verificou o seu conteúdo, viu o que o ladrão havia copiado todos os seus arquivos pessoais, em um processo que deve ter tomado muito tempo, dada a quantidade de dados.

No final, o professor ficou aliviado e afirmou que tudo o que aconteceu faz com que ele tenha boas esperanças para a humanidade.

Obviamente, se o ladrão tivesse um pouquinho mais de humanidade, provavelmente não teria roubado o computador.

 

Por Nátaly Dauer, Yahoo notícias.

Dia Internacional dos Animais

Hoje, dia 4 de outubro, é celebrado o dia de São Francisco de Assis, padroeiro dos animais e da natureza.

Neste dia, em 1226, era sepultado um dos santos mais conhecidos da Igreja Católica, o qual iniciou sua conversão pouco a pouco. A princípio guiado por uma doença, começou a dar esmolas e até suas roupas aos pobres; passou a ter visões e a desprezar as coisas mundanas, até que encontrou-se com um leproso e deu-lhe esmola e um beijo, fato que marcou profundamente sua vida, “pois o que antes era amargo se converteu em doçura da alma e do corpo”.

Em seguida, após outros acontecimentos que afirmaram sua vocação e já embalado pelo Amor, reconstruiu 3 pequenas igrejas. Seu pai não gostou desse novo estilo de vida, pedindo de volta o dinheiro gasto com os pobres. Francisco respondeu renunciando à sua herança, despindo até a própria roupa e passando, a partir daí, a viver na pobreza material.  Disse: “… doravante não direi mais pai Bernardone, mas Pai nosso que estás no céu…”

Fundou a Ordem Franciscana, criando uma simples regra: Pobreza e humildade. Esta Ordem era só para homens, sendo seguida pela Fraternidade das Pobres Damas, para mulheres, e a Ordem Terceira Secular, para homens e mulheres, casados ou não.

Um de seus últimos textos foi o Cântico das Criaturas:

Louvado seja Deus na natureza,
Mãe gloriosa e bela da Beleza,
E com todas as suas criaturas;

Pelo irmão Sol, o mais bondoso
E glorioso irmão pelas alturas,
O verdadeiro, o belo, que ilumina
Criando a pura glória – a luz do dia!

Louvado seja pelas irmãs Estrelas,
Pela irmã Lua que derrama o luar,
Belas, claras irmãs silenciosas
E luminosas, suspensas no ar.

Louvado seja pela irmã Nuvem que há-de
Dar-nos a fina chuva que consola;
Pelo Céu azul e pela Tempestade;
Pelo irmão Vento, que rebrama e rola.

Louvado seja pela preciosa,
Bondosa água, irmã útil e bela,
Que brota humilde. É casta e se oferece
A todo o que apetece o gosto dela.

Louvado seja pela maravilha
Que rebrilha no Lume, o irmão ardente,
Tão forte, que amanhece a noite escura,
E tão amável, que alumia a gente.

Louvado seja pelos seus amores,
Pela irmã madre Terra e seus primores,
Que nos ampara e oferta seus produtos,
Árvores, frutos, ervas, pão e flores.

Louvado seja pelos que passaram
Os tormentos do mundo dolorosos,
E, contentes, sorrindo, perdoaram;
Pela alegria dos que trabalham,
Pela morte serena dos bondosos.

Louvado seja Deus na mãe querida,
A natureza que fez bela e forte:
Louvado seja pela irmã Vida
Louvado seja pela irmã Morte.

Amém”


Inspirada em São Francisco de Assis, deixo aqui algumas frases de sábios homens, e proponho uma reflexão:

O que temos feito por nossos animais e pela natureza?


“A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados.” (Mahatma Gandhi)

“O justo olha pela vida dos seus animais.” (Provérbios 12:10)

“Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma.” (Pitágoras)

“Jamais creia que os animais sofrem menos do que os humanos. A dor é a mesma para eles e para nós. Talvez pior, pois eles não podem ajudar a si mesmos.” (Dr. Louis J. Camuti)

“Por que é que o sofrimento dos animais me comove tanto? Porque fazem parte da mesma comunidade a que pertenço, da mesma forma que meus próprios semelhantes.” (Émile Zola)

“A compaixão pelos animais está intimamente ligada a bondade de caráter, e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem.” (Arthur Schopenhauer)

“Olhe no fundo dos olhos de um animal e, por um momento, troque de lugar com ele. A vida dele se tornará tão preciosa quanto a sua e você se tornará tão vulnerável quanto ele. Agora sorria, se você acredita que todos os animais merecem nosso respeito e nossa proteção, pois em determinado ponto eles são nós e nós somos eles.” (Philip Ochoa)

À minha véia Sâmea, que está no céu;
Ao meu Filho gato;
À Bia, à Amy e a Uki Nina.

Perdida

Chegando por aqui, transferida do windows live spaces, me sentindo totalmente por fora nessa plataforma com tantas opções, q parecem um labirinto à uma usuária final.

Já já me encontro 😉