Num Ninho Estranho

Seria crise de identidade? Acho que não é por aí. Mas o que pensar quando se tem a sensação de que está no lugar errado, no tempo errado, no mundo errado… Como, de repente, alguém passa a se sentir deslocado num grupo no qual se sentia em casa, um grupo com quem convive diariamente? E pior, saber que este é o melhor grupo possível, nas circunstâncias dadas.

É… Complicado. Se bem que nem tanto. Basta refletir na famosa frase: “Não leve as coisas tão a sério.” Como não levar a sério pessoas que não sabem se divertir sem “agredir” umas as outras, mesmo que essas outras sejam elas próprias? Certo, exagerei. Não são agressões propriamente ditas. São apenas brincadeiras diferentes das costumeiras, das que acontecem no outro grupo, o local, aquele em que se cresceu. Até porque, se fossem comparar o tipo de diversão entre os dois grupos, o segundo é bem mais impróprio que o primeiro…

Mas, então, qual é o problema? O problema é de valores, de confiança, de alma. O grupo um é retrato básico da sociedade em massa, de muitas ostentações e de valores diversos (claro que não generalizando). O grupo um não é mau, apenas diferente. Quem é do grupo dois, nunca se sentirá totalmente confortável no grupo um, pois o grupo dois valoriza a simplicidade, se diverte com pouco e muita besteira… Só que eles se conhecem uns aos outros, a personalidade de cada um é sempre levada em conta, eles sabem exatamente onde fica o limite entre o “nenhuma” e o que magoa. Ou simplesmente eles têm uma liberdade maior entre si, pois têm muitas coisas em comum.

Se parar e procurar, é possível encontrar no grupo dois pessoas que gostam de várias coisas em comum com alguém do grupo um. O que aconteceu foi um choque de realidade súbita. Tudo sempre foi assim, mas não se enxergava, por motivos indizíveis. Resta agora ser feliz, mesmo passando a maior parte do tempo no grupo errado. Que não me achem má, apesar das diferenças, gosto dos dois grupos; apenas prefiro estar no mais compatível.  

Eu.

Decálogo do Cão

01. Minha vida não vai prolongar-se por muito tempo além dos dez anos, nesse período qualquer separação de você será muito dolorosa para mim.

02. Me dê algum tempo para entender o que você quer de mim, sou irracional mas capaz de retribuir sua estima.

03. Tenha confiança em mim, eu sou leal.

04. Não fique zangado comigo por muito tempo e não me prenda em algum lugar como punição, você tem seu trabalho, seus amigos, suas diversões, eu só tenho você.

05. Fale comigo de vez em quando, mesmo que eu não entenda suas palavras, compreendo muito bem sua voz, e sinto o que você esta me dizendo.

06. Esteja certo de que seja como for que você me trate, isso ficará gravado em mim como condicionamento.

07. Antes de me censurar por estar sendo vadio, preguiçoso ou teimoso, pergunte se não há alguma coisa me incomodando, talvez não esteja me alimentando bem, pode ser que eu esteja com alguma dor, ou apenas, meu coração que já esta ficando velho.

08. Cuide bem de mim quando eu ficar velho, você também vai ficar e certamente terá alguém que cuide de você.

09. Não se afaste de mim em meus momentos difíceis ou dolorosos, nunca diga a frase: " Prefiro não ver" ou " faça quando eu não estiver presente". Tudo é mais fácil para mim com você ao meu lado.

10. Lembre-se disto: se na sua velhice eu estiver do seu lado, eu saberei compreende-lo, meu amo, porque as relações misteriosas entre nós dois estão nos segredos de Deus.